Country, region and language selection

International websites

Europe

Americas / Oceania

Africa and Middle East

Asia / Pacific

KSB fornece bombas para maior caldeira de Portugal

Caldeira a gás/hidrogénio ajuda a descarbonizar indústria papeleira.

A KSB forneceu recentemente duas bombas de muito alta pressão, que serão integradas numa nova caldeira de vapor a gás natural/hidrogénio, com a maior potência jamais construída em Portugal para uma caldeira transportável. Esta caldeira está localizada numa importante indústria papeleira, em Setúbal e integra a estratégia de descarbonização desta indústria, tornando a papeleira “mais verde”.

Quem é a KSB?

A KSB é um fabricante de bombas “de água” (apesar da KSB as fabricar para todo o tipo de fluídos) e válvulas industriais, com sede na Alemanha e fábricas em todos os continentes, com um volume de negócios de cerca de 2,3 mil milhões de Euros e 15.000 colaboradores em todo o mundo, que em 2021 fez 150 anos de existência. Em termos de volume de negócios, o Grupo KSB tem uma dimensão equiparada às 10 maiores empresas Portuguesas.

Em Portugal, a KSB já está presente há 50 anos, tem um volume de negócios de cerca de 6 milhões de Euros e 20 colaboradores, e marca presença em todos os segmentos de mercado (Edifícios, Ambiente, Indústria e Energia). O Grupo KSB fabrica cerca de 4 milhões de Euros em Portugal, através das compras que faz a empresas Portuguesas.

Objectivo: neutralidade carbónica

Esta nova caldeira de vapor a gás natural/hidrogénio, com a maior potência jamais construída em Portugal para uma caldeira transportável (totalmente construída nas instalações do fabricante e posteriormente transportada e instalada na indústria, numa operação logística de elevadíssima complexidade), está localizada numa importante indústria papeleira, em Setúbal e integrada na estratégia de descarbonização desta indústria, que prevê a substituição do fuel por gás, com o objetivo de antecipar o prazo para atingir a neutralidade carbónica e aumentar a sua eficiência energética. 

A construção desta nova caldeira, do tipo Aquotubular, integralmente refrigerada, debitando 57 T/h de vapor sobreaquecido a 64 bar e 460 º C, tem como principais objectivos reduzir as emissões de dióxido de carbono, através da troca de combustíveis, e elevar a eficiência energética da instalação, diminuindo assim, duplamente, o seu impacto ambiental.

Bombas de muito alta pressão (até 140 bar)


As bombas fornecidas pela KSB são de muito alta pressão, do modelo HGM 3/8 (tamanho 3, 8 estágios), com motor de 250 kW, e irão fornecer à caldeira, cada uma, 80m3/h de água sobreaquecida ( 110 ºC) a uma pressão de 70 bar. Para além de aplicadas em alimentação de caldeiras, este modelo de bomba pode também ser utilizado na bombagem de água fria e de condensados. 

A gama HGM, pode atingir até 140 bar de pressão e 274 m3/h de caudal, e as suas principais vantagens são (1) fácil montagem (graças ao design do sistema hidráulico), (2) baixos valores de aspiração mínima requerida (devido à entrada axial, equipada de série com impulsor de aspiração), e (3) flexibilidade de adaptação às necessidades do cliente (graças às diferentes opções de sistema hidráulico), além de (4) elevada eficiência energética e (5) fiabilidade. 

Clientes experientes e exigentes


Sandrina Pereira, engenheira de vendas do Departamento de Indústria & Energia da KSB e responsável pela encomenda destas duas bombas, refere que “a KSB é dos fabricantes mais conceituados e experientes na construção deste tipo de bombas, e o facto de conseguirmos ter uma oferta competitiva e boas experiências anteriores com o nosso cliente, um fabricante de caldeiras de renome especializado nesta área, permitiu-nos garantir esta encomenda.”

Sandrina acrescenta ainda que “quer o nosso cliente directo, o fabricante, quer o cliente final, a indústria papeleira, têm um enorme know-how, procuram qualidade e rentabilizar recursos ao máximo, e são muito exigentes com os seus fornecedores, pelo que é prestigiante ver que a KSB é de facto um fabricante que vai ao encontro deste tipo de expectativas.”

Assistência técnica é factor decisivo

Outro factor decisivo na escolha da KSB para este importante investimento, quer por parte do fabricante, quer por parte da indústria, foi o facto da KSB ter assistência técnica própria, rápida, com muita experiência e formação regular em fábrica.

A KSB tem assistência técnica própria há mais de 20 anos, e acredita que essa é a melhor forma de garantir o elevado nível técnico dos seus mecânicos, a autonomia e rapidez de intervenção da empresa, bem como uma elevada qualidade e eficiência nos recursos humanos e nos processos de trabalho, aspectos fundamentais para a prestação de um serviço de excelência, quer em termos técnicos, quer económicos, aos seus clientes.

Este é mais um exemplo do envolvimento da KSB em projectos que priorizam a melhoria do ambiente, contribuindo com apoio técnico e produtos que maximizam a eficiência energética e minimizam os custos de manutenção.